Conheça a Otoplastia: Saiba Tudo Sobre a Cirurgia orelha de abano

Você pode não estar familiarizado com o termo “otoplastia”, mas provavelmente já ouviu falar da cirurgia para corrigir “orelhas de abano”. 

Nesse artigo vamos falar sobre a otoplastia, quem pode fazer, cuidados médicos e muito mais. Portanto, continue sua leitura!

O que é otoplastia?

A otoplastia é uma cirurgia que visa corrigir o formato anormal das orelhas, ou seja, a correção de orelhas proeminentes ou “descoladas” também conhecidas como “orelhas de abano”. Além disso, ela pode tratar outras condições, como sequelas de traumas, ausência congênita de orelhas e anomalias diversas.

Esses problemas podem afetar uma ou ambas as orelhas, podendo apresentar diferenças entre elas. Embora não prejudiquem a audição, essas anomalias têm impacto psicossocial significativo. Em muitos casos, seguros de saúde não cobrem essas situações.

Problemas estéticos nas orelhas podem afetar a autoestima, causar ansiedade e interferir nas relações interpessoais, tanto em crianças quanto em adultos. Nesses casos, a cirurgia de otoplastia pode ser considerada.

Para quem pode fazer a Otoplastia?

A cirurgia para corrigir as orelhas é recomendada em situações de assimetria na forma, no tamanho e/ou na angulação, malformações congênitas ou deformidades após traumas. O objetivo é tanto estético quanto funcional, com o cirurgião buscando harmonizar a forma, volume e posição das orelhas com o rosto do paciente.

No caso das orelhas proeminentes, são classificadas de acordo com o grau de angulação das alterações anatômicas, sendo leve, moderado ou grave. A decisão de realizar a cirurgia pode ocorrer em qualquer grau, dependendo do desconforto sentido pelo paciente.

Da mesma forma, a necessidade de otoplastia para corrigir casos de macrotia (orelhas maiores que o normal) é determinada pelo incômodo do paciente em relação às suas orelhas. Quando há malformações que podem afetar as funções auditivas das orelhas externas, a cirurgia é recomendada não apenas por razões estéticas, mas também para preservar a funcionalidade.

A partir de qual idade é possível corrigir as orelhas?

A cirurgia de otoplastia pode ser realizada a partir dos 4 anos de idade. Nessa fase, as orelhas da criança já atingiram proporções semelhantes às do adulto, tornando a intervenção cirúrgica apropriada. Homens e mulheres, a partir dessa idade, podem passar pelo procedimento, sem uma idade máxima estabelecida. Assim, a cirurgia pode ser realizada em qualquer fase da vida.

Orelhas proeminentes ou com outras malformações podem causar episódios de bullying, afetando a autoestima de crianças e adultos. O bullying muitas vezes começa na pré-escola e pode impactar o desempenho escolar da criança. Como o crescimento das orelhas atinge quase 100% do tamanho final na pré-escola, a otoplastia pode ser realizada a partir dos seis anos.

O cirurgião avaliará as estruturas das orelhas e determinará se a criança pode passar pelo procedimento ou se é melhor esperar um pouco mais para que o crescimento se estabilize. Apesar de ser uma cirurgia estética, a otoplastia também tem uma função social, pois tem impacto psicológico, devolvendo a autoestima e melhorando a qualidade de vida do paciente.

Como é feita a cirurgia de orelha de abano?

A otoplastia é um procedimento cirúrgico pouco invasivo e é realizada em regime ambulatorial, o que significa que o paciente não precisa ficar internado.

Durante a cirurgia, o cirurgião faz uma pequena incisão atrás da orelha, expondo a cartilagem, que é moldada com suturas. Em alguns casos, pode ser necessário remover uma pequena parte da cartilagem para posicionar as orelhas de forma mais próxima da cabeça, alcançando uma simetria adequada e uma nova anatomia.

Após a cirurgia, são feitas suturas (pontos) que ficam escondidas devido à sua localização e tamanho. Dependendo do problema a corrigir, podem ser realizadas outras intervenções para tratar questões funcionais ou estéticas.

O cirurgião aplica um curativo nas orelhas para proteger a região operada, e esse curativo deve ser mantido por 24 horas.

A cirurgia é geralmente realizada sob anestesia geral, mas também pode ser feita com anestesia local ou sedação, dependendo da intervenção planejada.

Devido à natureza minimamente invasiva da cirurgia, o pós-operatório é facilitado, permitindo que o paciente retorne para casa no mesmo dia da intervenção.

Os pontos são geralmente internos e absorvíveis, não sendo necessário removê-los. Os curativos são feitos com pomada cicatrizante e gaze, sendo removidos pelo médico após 24 a 48 horas.

Nos casos de correção de orelha de abano, é recomendado usar uma faixa de tecido compressiva durante a noite no primeiro mês após a cirurgia.

A duração média da cirurgia é de aproximadamente uma hora. Após a cirurgia, o paciente passa algumas horas em recuperação antes de poder retornar para casa.

A cirurgia é concluída com pontos de fixação, geralmente internos e absorvíveis. Esses pontos têm a função de manter a nova forma da orelha e fechar a incisão.

Quais são os cuidados pós cirurgia de orelha de abano?

Internação: Geralmente, o paciente fica em observação por oito a doze horas após a cirurgia.

Curativos: A incisão é coberta com curativos contendo pomada cicatrizante e gaze. Os curativos devem ser removidos pelo médico entre 24 e 48 horas após a cirurgia. Se necessário, o médico pode indicar a continuação dos curativos. Em casos de correção de orelhas de abano, o paciente deve usar uma faixa de tecido compressiva específica por um mês, retirando-a apenas para o banho.

Dor: Queixas de dor após a otoplastia são raras. Se ocorrerem, o médico deve ser informado. Normalmente, a dor é aliviada com o uso de analgésicos prescritos pelo médico.

Retorno às atividades após a otoplastia

Para crianças, é recomendado aguardar uma semana antes de retornarem à escola. Já os adultos podem retomar suas atividades dois dias após a cirurgia, sempre com cuidado para proteger a área operada. O uso de óculos pode ser feito sobre o curativo, desde que a haste não aperte demais a região.

Retorno ao consultório médico

O primeiro retorno ocorre entre 24 a 48 horas para a remoção do curativo e a avaliação médica. Nesse momento, serão combinadas as próximas consultas de acompanhamento.

Fale agora mesmo com o Dr. Jorge Moulim (CRM 7797-ES) e RQE: 5959, cirurgião-plástico em Vitória (ES), especialista, médico renomado e experiente.

Sobre o autor | Website

Dr. Jorge Moulim – CRM 7797-ES Formação acadêmica: * Residência médica em cirurgia plástica pela Universidade Estadual Paulista * Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, confira o perfil, clique aqui. * Membro da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética * Membro do Colégio Brasileiro de Cirurgiões

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

*

Seja o primeiro a comentar!