Ginecomastia – Dr. Jorge Moulim

A ginecomastia é o termo médico utilizado para o aumento das mamas em homens. É mais comum do que se pensa. Estima-se que afete até 40% dos homens, em uma ou ambas as mamas.

O formato mamário feminino produzido pela ginecomastia é uma causa importante de vergonha e inibição; e costuma constranger os homens atingidos, podendo levar a trauma psicológico principalmente em jovens e adolescentes, que evitam ir à praia ou à piscina porque o ato de retirar a camiseta revela as mamas aumentadas.

Este fenômeno pode estar relacionada a um desequilíbrio hormonal. Na maioria dos casos ocorre um aumento da produção de estrogênio e diminuição da produção de testosterona. Embora certas drogas (esteróides anabolizantes, álcool em excesso, corticóides, espironolactona, entre outros) e condições médicas (cirrose hepática, desordens hormonais) possam contribuir para o aparecimento, na maior parte dos casos não se observa uma causa identificável (“ginecomastia idiopática”). Também pode ser decorrente de acúmulo de gordura na região.

ginecomastia
Cirurgia Plástia Ginecomastia – Dr. Jorge Moulim
Ginecomastia
Ginecomastia – Antes
ginecomastia
Ginecomastia – Depois

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como funciona o tratamento?

O tratamento pode ser feito com lipoaspiração e/ou ressecando-se o tecido glandular através de uma incisão em torno da aréola. O procedimento é realizado com anestesia geral ou anestesia local com sedação, e o paciente poderá retornar para casa no mesmo dia da cirurgia.

A cicatriz resultante da cirurgia apresenta ótimo aspecto estético, devido a coloração naturalmente escurecida da região areolar, que irá dar um aspecto natural a cicatriz. Na maior parte dos casos, a ginecomastia é do tipo mista, necessitando da combinação de lipoaspiração e remoção cirúrgica do tecido glandular para obter melhores resultados.

 

Clique aqui e entre em contato conosco, ou ligue agora mesmo nos telefones e agende sua consulta com o Dr. Jorge Moulim.

Clique aqui e conheça mais sobre o currículo do Dr. Jorge Moulim.